Croácia responsável por crimes na guerra da Bósnia

Publicado em 30 Maio 2013 às 14:27

Cover

111 anos de prisão no total, para seis antigos responsáveis políticos e militares dos croatas da Bósnia. No dia 29 de maio, foram considerados culpados de terem elaborado, entre 1992 e 1994, um plano para expulsar os muçulmanos e criado Herzég Bosna, uma entidade croata na Bósnia-Herzegovina desenhada segundo as fronteiras de 1939 e que deveria ter sido anexada à Croácia.

O Tribunal Penal para a ex-Jugoslávia condenou uma “empresa criminal”, anuncia o Novi list em primeira página. O diário de Rijeka realça que “a Croácia foi considerada culpada de agressão na Bósnia-Herzegovina”, pelo facto de o veredicto também envolver o antigo Presidente Franjo Tudjman, o seu antigo ministro da Defesa Gojko Šušak, e o general Janko Bobetko.

Após este veredicto, estima o Novi list,

a opinião pública deverá encarar aquilo que tentou evitar nos últimos 20 anos, isto é, o facto de os crimes terem realmente ocorrido… A catarse não acontecerá até reconhecermos que o que aconteceu nunca deveria ter acontecido e que os altos funcionários do Estado croata são, em parte, responsáveis por isso. É imoral enterrar a cabeça na areia a um mês da adesão da Croácia à União Europeia, ao afirmar que hoje somos um Estado diferente do que éramos em 1993, e uma sociedade mais madura do que na altura.

O Jutarnji list, por sua vez, salienta a “preocupação em Zagreb” e a “ira em Mostar”, a “capital” dos croatas da Bósnia. Mas o diário de Zagreb relembra que “os crimes cometidos pelo HVO (exército dos croatas da Bósnia-Herzegovina) eram do conhecimento público”, e que a “guerra entre os croatas e os bósnios foi travada militarmente, logisticamente e sobretudo politicamente, a partir de Zagreb”.

Mas acrescenta que “o veredicto do tribunal de Haia levanta duas questões importantes”:

Antes de mais, podemos interrogar-nos (pelo menos até ao processo de recurso) se o tribunal condenou os verdadeiros culpados e, depois, se se trata de uma empresa criminal. […] Uma vez que o conflito na Bósnia-Herzegovina foi complexo: por um lado, existiu mesmo uma intervenção militar contra o exército bósnio, mas por outro, a Croácia acolheu 200 mil refugiados bósnios e foi no território croata que o exército bósnio conseguiu o seu armamento.

É uma organização jornalística, uma empresa, uma associação ou uma fundação? Consulte os nossos serviços editoriais e de tradução por medida.

Apoie o jornalismo europeu independente.

A democracia europeia precisa de meios de comunicação social independentes. O Voxeurop precisa de si. Junte-se à nossa comunidade!

Sobre o mesmo tópico